A volta do diário alimentar

Já que…. a dieta não sai do lugar e meu peso tbm resolvi começar do zero. Preciso saber o que estou comendo e encarar minha realidade: Tomar uma providência, dar um jeito, recomeçar, tirar a poeira do diário de dieta.

Me observando por uma semanacan-stock-photo_csp4573207

 

 

Diário alimentar de hj, segunda

                                    café 8:00: meio pão com bife de carne grande

3 bolachas maisena

 

                       almoço: 11: 30 2 colheres de arroz integral

uma concha de feijão

salada e legumes

suco  juice coloré

almondegas pequenas 4

 

                        pós treino: 14:00  uma laranja

         lanche:

16:00 salada de fruta

01 pão de queijo

meia pipoca de doce

                                  Jantar 18:00

2 sopas de pacote

pimentao e cenoura

uma colher de feijão

 

Advertisements

ops, eu estou sendo fisgada! R.A

Um novo dia se inicia às 4:00 da manhã, estudos até 8:00, banho, 30 minutos dirigindo até a UFMG, minha filhota fica na creche e eu na aula. Lá as cobranças, a convivência, tudo me desgasta. Lá, eu me sinto uma pessoa errante, que não se domina, mas que está na guerra, tentando. Lá minhas colegas magras dizem: é fácil, veja, vc só precisa comer isto. Eu olho  com olhar de descrença: estou com sono, quero dormir.

Chego em casa 18h, depois de dirigir 30 minutos no caminho de volta: eu só penso em 2 coisas: comida e cama. Doces, salgados, o que vier. Reluto em levantar, mas sempre me levanto para pegar alguma coisa pra minha filha. Feridas que trago e essa rotina que está acabando comigo. Estou triste e nisto, meus olhos não conseguem mentir. Ganharam contornos sombrios que nunca tiveram. Pude encontra-los em fotos, já que espelho tenho evitado. Há tantas preocupações que talvez seja natural fugir de algumas.

Eu estou me sentindo um fracasso, mas consigo reconhecer que não é exatamente assim. Eu estou passando dificuldades que dariam trabalho para qualquer ser humano. Talvez eu tenha feito até demais, dentro das minhas possibilidades. Eu encontrei pelo ou menos colo e carinho do meu marido e filha que me salvaram.

Mas e a R.A ? Cada dia que passa me martela como se fosse uma NECESSIDADE. isto está claro pra mim. Infelizmente, a minha fome tem sido maior que a vontade e eu estou aqui, tentando romper de alguma forma esta realidade, dando chutes até essa bola acertar em algum lugar e quem sabe aí eu possa voltar acreditar em mim. de novo. Obra do acaso? acho difícil. mas… quando a gente está no turbilhão da vida a gente só sabe rezar pra qualquer força externa vir e no salvar, porque infelizmente , nosso olhar adoeceu. van gogh 116