Queridos Mel e Caio,

Gostaria de ter boas notícias para dar-lhes hoje, mas não trago as melhores : eu estou morrendo.

É nostálgico e triste voltar a este blog e constatar que aqui ficaram registradas lutas e vitórias contra o grande vilão da minha vida, a dor.

momentos de prazer aqui foram conquistados durante a escrita, e fora daqui, momentos de prazer como o prazer de amamentar, de fornecer alimento em vez de se alimentar  constantemente, o tempo todo para aliviar a dor.

estou morrendo porque apesar de ter encontrado um porto seguro algumas vezes, ele durou pouco. cá volto eu com minhas dores no joelho, infecção urinária ininterrupta, dores nas costas, vergonha, vexame, meus olhos que adquiriram uma tristeza que jamais vi igual. A tristeza de quem não acredita mais no futuro e está desesperado.

Sei que ando procurando socorro de todos os lados, procurei clínicas de gastroplastia, tenho pesquisado sobre remédios. Se fosse há uns anos atrás talvez eu conseguisse pensar em seguir dieta e atividade física, eu conseguiria nadar devagar até a superfície, mas o fato é que agora não dá: eu estou me afogando e agora agarro de forma inconsciente em tudo que me parece apoio. Mais e mais dor me levam a buscar mais formas de alívio: álcool, cigarros. Eu perdi a capacidade de ver futuro para mim além da dor de existir e de ter sempre algo na boca, como uma droga, algo que me tirasse um pouco do ar.

Quando criança eu passei por coisas traumáticas. Vi minha mãe ser espancada até sofrer um aborto espontâneo, fui espancada até desmaiar aos 3 anos.  Este é o passado triste que deixei para trás mas hj revisito-o. Eu não tenho completa culpa da forma como estou hoje. nem eu e nem nenhum obeso, eu diria, fomos todos vítimas de uma vida cruel, porém ao mesmo tempo fomos todos algozes do que fizemos com nossos corpos. Por que aprendemos a nos maltratar tanto?

Meu paladar é doente. gosta tanto de coisas doces e açucaradas. Não tem fim. Os doces me dominam completamente, me fazem entrar num estado de torpor onde, surpreendentemente não há cheiro, não há gosto, não há movimento, não há memória. Há um alívio temporário capaz de durar alguns segundos. Quantos segundos duram uma mordida com uma deglutição rápida e tão veloz que quando acaba, não sei onde estou?

Eu sou o ser que arruma cozinha e come, que lava a louça e come, que anda pela sala e come, que na hora do almoço come e depois, culpada, derrotada, infeliz, se deita para dormir- não antes de chorar um pouco. É assim que me encontro, meus queridos. é o fundo do poço e ao mesmo tempo é tão banal que comida tenha me trazido até aqui.

Há muitas coisas bonitas e que amo em vocês, eu gostaria de estar inteira para aproveita-los e não com este vício que me devora pela metade, que come minha energia, digere meus sorrisos e minha capacidade de estar bem. Este é o fundo do poço e aqui não existe aconchego, existe apenas uma mulher, naufragando e em busca de uma oportunidade de suspiro. Eu preciso urgentemente de ar e depois, se possível, eu preciso tomar um fôlego e descansar. Sem olhar para trás neste medo que me consome , medo do meu passado e de minhas histórias tristes mas vislumbrando um futuro possível e de paz.

Escrevo como quem implora a mim mesma por uma chance. Eu preciso me dar e estar apta para resistir aos comandos involuntários que minha dor me causa. Preciso de energia para enfrentar meus dias difíceis, mas utilizar esta energia do jeito certo.

 

Advertisements

O mar está para peixe?

Hj é dia de recomeço após ter enordado 2,5 kg. fui num cirurgião baixinho consultar e ele me disse: vc precisa fazer cirurgia bariátrica. naquele dia eu simplesmente me convenci ( apesar de não ter imc suficiente, mas de ter uma comorbidade no joelho que tem me atrapalhado a fazer atividade física e consequentemente perder peso).

acho que nunca um diagnóstico me deixou tão confusa. Entrei num grupo do facebook chamado bariatricando sem censura e parecia uma seita de pessoas que haviam encontrado a felicidade . Fotos de antes e depois impressionantes. Eu poderia estar lá, meu plano cobriria tudo, mas comecei a me perguntar se era aquilo que eu queria.

Formulei hipóteses: seria a cirurgia bariatrica uma solução definitiva pro meu problema sério de compulsão alimentar? uma ferramenta potente para auxiliá-lo ou uma forma de mutilar meu corpo para caber num padrão imposto? seria um meio de melhorar minha saúde ou de adquirir outros problemas de saúde? seria uma coisa simbólica que poderia ser conquistada com lágrimas e suor em vez de correr risco de vida me entregando aos grampos no estômago ou seria apenas mais um tratamento para emagrecimento da moda, cujo os danos futuros ainda são pouco conhecidos?

O certo é que a cirurgia bariátrica é uma cirurgia de alta complexidade. é um processo operatório que leva a cortes, suturas, e que pode realmente ajudar, mas também pode atrapalhar e muito a qualidade de vida.

mas e eu? o que eu queria? quais eram as minhas expectativas pro meu futuro? de mim, eu sempre soube que estive tentando por décadas vencer a obesidade, o sobrepeso e a compulsão alimentar. há dias vencidos e há dias em que simplesmente eu perco a batalha e fico no chão por meses, completamente derrotada e envergonhada.

subestimar o problema da obesidade e suas consequências na saúde física e psíquica, especialmente suas consequências sociais nunca foi um problema para mim. Nesta escola árdua que é o sobrepeso e suas mazelas eu sou phd. Não só por ter tentado e ter emagrecido várias vezes, mas por ter percebido que fazer dieta não funciona e atualmente eu não sei o que funciona além desta cirurgia que pode me matar mas traz bons resultados.

a atkins vinha funcionando lentamente mas aos poucos foi tomando a conotação de dietas anteriores, obsessão, contagem de calorias, de fibras. Apesar de tudo, foi uma boa dieta que deixou meu cabelo e unhas mais bonitos, me ajudou a manter o peso enquanto segui à risca, mas no meio do caminho houve uma pedra : meses se passaram sem que eu emagrecesse uma grama. é provável que tenha faltado o ingrediente de sempre: atividade física.

decidi deixar de ser uma navegante solitária no mar do meu sobrepeso e abrir o assunto com a equipe médica. amanhã marcarei consultas no endocrino, nutricionista, ortopedista, cardiologista. Preciso saber como estou, o que eles pensam sobre atkins.

 

hoje após um dia sem seguir dieta, eu senti uma sensação que há muito tempo não sentia. uma liberdade estranha: eu comi frutas sem me restringir, bolo de chocolate ( fatia bem pequena), eu dormi por quanto tempo eu quis, eu tentei me observar comendo, meus beliscos, minha atividade estomacal constante , e o fato de observar em si me fez sentir um certo constrangimento.

são quase 21 h e hj foi um dia sem compulsão alimentar.

a cirurgia bariatrica é uma tentativa de solucionar um sofrimento de anos. pode ser que venho recorrer a ela? pode. mas não vou tomar esta decisão hoje e nem agora, antes eu preciso me observar.

preciso tentar sair um pouco desta posição de quem enxerga tudo com o viés de quem sofre. eu preciso me ver de fora.

estou exausta de contar calorias e de me privar das coisas. eu queria realmente dar um choque no meu organismo e reduzir minha alimentação á metade, monitorar minhas beliscadas.

eu queria voltar a me exercitar

parece um projeto pouco ousado perto de uma cirurgia? sim, parece. peixe figura-7

I want to break free

win_20170226_18_17_53_pro-2

Hoje decidi corrigi meus erros da Atkins que me fizeram estagnar o peso, entre eles estão:

 

  • não dar espaço mínimo de 7h entre as refeições
  • não pesar alimentos
  • não comer 30g de proteína em cada refeição
  • não mexer o corpo

 

algumas dessas coisas vou corrigir assim que puder: por exemplo, não estou ainda com condições financeiras para uma balança de cozinha

mexer o corpo depende de ter tempo, semana passada estava fazendo entrevistas de estágio e este tempo não sobrou

o espaço entre as refeições e as 30g de proteína eu vou olhar pelo fat secret, como tenho feito às vezes

desta vez eu travei uma batalha dura contra a balança. estou motivada e sonhando muito com o dia que eu for imc saudável de novo. não estou pedindo para ter o corpo da Luma de Oliveira, estou pedindo a deus um imc saudável de 64 kg.

eu vou chegar lá. vou voltar aos meus 54 kg e pretendo manter. pode ser que dessa vez o emagrecimento leve mais de um ano, mas é um caminho que estou trilhando e que está me fazendo muito bem.

 

quando eu tiver 60kg

mariachubby-24

 

Estou seguindo uma dieta Atkins, estou quebrando minha cabeça , me montando e me desmontando, estou emagrecendo, mas não com a velocidade com que estou acostumada. estou tendo que me acostumar com esta perda de peso lenta e essa parte não é exatamente a mais fácil.

já é fervereiro, dia 10, eu comecei antes do natal então creio que há 2 meses. sem contar que eu vinha mantendo peso com a low carb por 6 meses.

às vezes fico sonhando com dia que terei 60 kg. quero vir aqui e fazer um texto sobre a leveza que vai ser ter 60 kg. pode levar um ano , ou dois. pode levar a vida inteira para conseguir manter. meu corpo agora resolveu dar um basta e dizer: agora vc vai ter que aprender a cuidar de mim de verdade.

 

está sendo um processo doloroso. está sendo um processo de ansiedade , eu diria, mas esta é uma estrada que está se fazendo, não posso negar, estou caminhando passo a passo, tentando observar a paisagem.

quase 3 meses

Essas semanas têm sido bem agitadas: a aula de dança voltou. a hidro tbm, as caminhadas estão deixando a desejar, a musculação, embora tenha me matriculado, não consegui ir.

Meu peso? não sei. Quinta feira vou subir numa balança. Mas meu número continua sendo 42. meu progresso tem sido lento, mas ao menos, eu não tenho compulsão alimentar! como é bom poder viver sem isso.

Apesar disso, imagino que 2kg tenham ido embora nesses 15 dias. Uma calça que eu não vestia a um ano entrou, fechou, embora tenha ficado apertada nas coxas.

Tenho sonhado muito com o dia em que meu imc for saudável de novo. Como eu disse no início deste blog: vai ser um conto de fadas. só que um diferente porque dessa vez, eu vou ter achado um estilo de vida que eu possa seguir a vida inteira: sem contar calorias, pontos, ou coisa nenhuma, mas ouvindo o meu corpo e a minha fome!

Independente do peso, a low carb já tá me fazendo um bem mental imenso. só falta eu realmente derreter todo este peso que se acumulou nesses 3 anos. e quando eu chegar lá, ai ai… quando eu ao menos sentir que estou melhor, bonita e de um jeito que eu consiga aparecer de corpo inteiro em fotos… vai ser emocionante!adot-placa-realize-a1-300x300

a dor

só quem passa por isso sabe…a dor de estar acima do peso. a dor de sofrer efeito sanfona. a dor de conquistar números menores e perder tudo. a dor de não querer sair em foto, de evitar os principais eventos por pensar ser incapaz. A dor de chorar o leite derramado e depois “beber o leito derramado” por pura compulsão ,como se ele fosse remédio pra dor de ter o derramado.

só quem sabe a dor de passar horas, dias, anos na posição vertical, pensando sobre como reverter este quadro, enquanto pessoas paraplégicas sorriem e se exercitam, enquanto pessoas magras caminham satisfeitas por praças, enquanto pessoas com doenças sem cura sorriem, lutam, alguém sente dor por ter tudo e desistir.

Obesidade, meus caros, é uma doença grave. uma patologia que envolve , corpo, espírito,  hormônios, níveis de insulina, glicemia,colesterol. uma bomba que não só está prestes a explodir, como já explode todos os dias antes do espelho: a dor de se olhar nele e não se reconhecer. a dor de ter iniciado muitas vezes e ter de recomeçar.

Crying-001

Eu me matriculei na musculação. e me pesei. estou com 3kg a mais do que quando iniciei este blog. se está sendo fácil? não está. está sendo um pesadelo que exige que eu reaja rápido, apesar da minha impotência.

mas… eu sou guerreira e quem me conhece sabe que eu não vou desistir. apenas vou lutar com um pouco mais de vontade, modificar minhas estratégias, observar, conhecer-me e galgar resultados. sim eu acredito que posso reverter de uma vez por todas e- um dia de cada vez -a obesidade.

as estratégias consistem em:

dieta low carb

pesagem semanal

treino diário ( natação, musculação, dança, caminhadas)

motivação. eu vou conseguir. e dessa vez vai ser definitivo.

 

 

 

Fernanda Thedim: musa inspiradora

Depois de chegar a pesar quase 130 quilos, a jornalista carioca Fernanda Thedim resolveu mudar radicalmente. Sob a supervisão do endocrinologista Fabiano M. Serfaty e do educador físico Dudu Netto, ambos do Rio de Janeiro, ela eliminou 55 quilos em seis meses apenas com dieta e atividade física.

Leia também:

Dieta para emagrecer rápido: cardápio para enxugar sem passar fome

Gordura trans: tudo sobre a vilã das dietas e da saúde

10 dicas para manter a forma nas festas de fim de ano

No livro “Corpo Novo, Vida Nova” (Casa da Palavra), ela conta como foi passar por todo esse processo fazendo a dieta da proteína, que foi dividida em duas fases. Na primeira, o objetivo é não ultrapassar a marca de 20 gramas de carboidratos por dia e a perda estimada é de até 3,5 kg por semana.

Já na segunda fase, a quantidade diária de carboidratos aumenta para 40 gramas e a perda estimada é até 1,5 quilos por semana. “O tempo de permanência em cada fase é variável. Depende dos objetivos e da adaptação de cada paciente, e isso deve ser orientado pelo médico”, diz.

Alimentos permitidos na dieta da Fernadna Thedim

Primeira fase

Carnes magras, peixes e aves.

Frios e queijos: presunto, peito de peru, chester, queijos amarelos, requeijão, ricota e polenguinho.

Ovos.

Óleos e gorduras: azeite de oliva e óleo de canola.

Creme de leite e leite de coco.

Farinha de linhaça e gergelim.

Verduras e legumes (exceto batata, inhame, aipim, beterraba, cenoura, milho, lentilha e feijão).

Conservas: alcaparra, aspargo, azeitona, cogumelo, palmito e picles.

Bebidas: chás, mate e chá gelado diet, refrigerantes e refrescos diet e light, suco de tomate.

Chiclete diet e gelatina diet.

Segunda fase

Acrescentar uma opção de cada grupo para consumir por dia na quantidade indicada:

Pães e similares: pão de forma (1 fatia), torrada integral (3 fatias).

Leite e derivados: leite desnatado (1 copo), leite de soja (2 copos), iogurte light e coalhada (1 pote), sorvete sem açúcar (2 bolas).

Frutas: 1 porção (exceto banana, uva, jaca e fruta-do-conde).

Doces: chocolate diet (25 gramas), paçoca diet (1 unidade), doce em compota diet (1 colher de sopa), pudim, musse ou creme diet (1 taça), geleia diet (2 colheres de sopa).

Frutas oleaginosas: nozes, castanhas, amêndoas, pistache, macadâmia (10 unidades) ou sojinha torrada, semente de abóbora ou girassol (1 pacote de 100 gramas)

Dicas para emagrecer da Fernanda Thedim

Alguns truques ajudaram Fernanda no processo de emagrecimento. Ela dá algumas dicas:

– Não encha o armário de guloseimas.

– Deixe os alimentos hipercalóricos para o final de semana.

– Sirva as refeições em pratos individuais ao invés de colocar travessas e panelas sobre a mesa.

– Não coma na frente da TV ou do computador.

– Leve a criança à feira ou ao supermercado para estimular a curiosidade sobre os alimentos.

– Varie a forma de preparo dos alimentos.

– Não use a comida como instrumento de consolo ou barganha.

http://www.vix.com/pt/bdm/corpo/dieta-da-fernanda-thedim-cardapio-que-enxugou-55-quilos-em-6-meses

originalmente em: